Este site salva seu histórico de uso. Ao continuar navegando você concorda com a política de cookies e privacidade

Fotografia analógica: como eram as fotos antes das digitais?

FOTOGRAFIA ANALÓGICA: COMO ERAM AS FOTOS ANTES DAS DIGITAIS?

 

Saiba como era a fotografia analógica antes das câmeras digitais!

Você se lembra ou já ouviu falar sobre como eram as fotos antes da fotografia digital?

A chamada fotografia analógica é a antecessora das câmeras digitais e funcionava com um rolo de filme analógico.

Mesmo que você não saiba o significado, aposto que você já ouviu uma pessoa mais velha dizendo algo sobre “revelar a foto”.

É desse tipo de câmera que estamos falando! 

E, para você entender como funcionava antigamente, criamos esse conteúdo com os detalhes sobre a fotografia analógica. 

O que é a fotografia analógica?

Sabe aqueles quartos escuros para revelar fotos que sempre aparecem nos filmes?

Essas fotos vêm da famosa câmera analógica.

Fotografia analógica, ou fotografia de filme, é um termo que abrange todo tipo de fotografia feito por uma máquina fotográfica que utiliza processos químicos para capturar a imagem, como em papel, filme ou placa dura.

Seu uso começou lá por 1820 e, depois de quase 100 anos, a fotografia digital chega, em 1990, fazendo com que as câmeras analógicas deixem de valer a pena.

Hoje em dia, a câmera de filme analógica pode ser usada como recurso estético, no design ou em trabalhos artísticos (e o resultado final é belíssimo), mas nos últimos anos ela deixou de ser usada no dia a dia e foi substituída pelas câmeras digitais e, mais tarde, pelos smartphones.

Diferença: digital e analógico

Primeiramente, a câmera digital utiliza um sensor fotossensível para capturar a imagem e possui o armazenamento do arquivo de maneira digital, podendo ser analisada logo após a captura da imagem.

Em contrapartida, a máquina fotográfica analógica utiliza um filme fotográfico e, assim, a imagem fica capturada no filme, de forma negativa (com as cores invertidas), sendo necessário ser revelada para poder ser vista.

As câmeras instantâneas, por exemplo, também são analógicas, pois possuem o mesmo funcionamento. A única diferença é que, nela, a imagem não é armazenada no filme, e sim impressa no papel.

Diferindo da digital, a máquina fotográfica analógica:

  • Possui um disco de controle extra, também chamado de alavanca de rebobinamento, tendo em vista que serve para rebobinar o filme.
  • Não possui um visor na parte posterior, portanto não é possível visualizar a foto antes de revelada.
  • Possui um número limitado de fotos a serem tiradas, a depender dos fotogramas do filme. Quando finalizado, a reposição é necessária.

Com uma câmera analógica, é natural que as fotos sejam escolhidas a dedo, aumentando o sentimento sobre a imagem e sua maneira de ser um registro único.

Leia também: Álbum de fotos de casamento: 5 dicas para montar o álbum perfeito

Revelação da foto analógica

Uma característica diferente da câmera analógica é o processo de revelação da foto.

Um pouco mais lento do que o universo de fotos digitais está acostumado, a revelação analógica deve ser feita em um laboratório, dividindo-se em três etapas:

#1 - Revelação do filme

O primeiro passo é remover o filme exposto da câmera, devendo ser feito em um ambiente completamente escuro.

Ao ser retirado, o rolo do negativo é enrolado em espiral para garantir que o material seja igualmente sensibilizado no próximo passo.

O rolo em espiral é depositado em um tanque de revelação e, quando fechado, são feitos três banhos: o revelador, o interruptor e o fixador. 

Com os banhos finalizados, o negativo deve sair do tanque, ser lavado em água corrente e guardado para secar, podendo, a partir disso, partir para a próxima etapa.

#2 - Fotogramas e teste de luz

Com o negativo seco, é possível iniciar os testes de luz nos fotogramas, feito para a visualização da fotografia no papel, ou seja, positiva. 

Nessa fase, a luz vermelha pode ser ligada. 

Com um amplificador, o fotógrafo mede o tempo que deseja expor o negativo à luz. Dessa forma, ele faz diversos testes de tempo de luz e tipos de filtro, até que ache um resultado que seja satisfatório.

Com a sensibilização feita, é necessário dar banhos químicos: revelador, interruptor e fixador novamente.

#3 - Ampliação

Nessa etapa, é hora de revelar a imagem com a ampliação final.

Os passos são: escolher um fotograma, encaixar no amplificador e ajustar o tamanho desejado.

Com testes de luz e contraste feito, realiza-se a sensibilização, os banhos químicos, um último banho em água corrente e pronto.

Com a foto seca, ela já está pronta.

Confira também: Personalização: dicas para ter um álbum de bebê personalizado

Ficou com vontade de ter uma máquina analógica?

 

maquina analogica

Referência

Mesmo com o processo de revelação complicado, as fotos analógicas ganharam uma volta de grande popularidade.

Não dá para negar a praticidade e rapidez que as fotos digitais trouxeram. Entretanto, as fotos analógicas possuem sua marca registrada e as máquinas podem ser encontradas em brechós, lojas de antiguidades ou lojas virtuais.

Afinal, a tecnologia muda, mas a arte de proteger as memórias com fotos permanece.

Por isso, a iCAL existe para te ajudar a guardar esses momentos especiais, com álbuns, fotolivros, instalivros e muito mais. Se você é apaixonado por fotografia, conheça as soluções da iCAL!

Deixe um comentário
Leia Também

7 ideias de fotos de mesversário para melhores fotos do seu bebê

01 de Dezembro de 2021
Categoria: Fotografia
7 ideias de fotos de mesversário para melhores fotos do seu bebê

Quer conhecer algumas belas ideias de fotos de mesversário para o seu pequeno? Então acesse agora e descubra!

Leia mais >

Veja dicas para fazer backup de fotos e não perdê-las

25 de Fevereiro de 2022
Categoria: Fotografia
Veja dicas para fazer backup de fotos e não perdê-las

Quem sabe como fazer backup de fotos mantêm seus arquivos a salvo. Acesse e aprenda o que fazer para evitar que suas recordações se percam!

Leia mais >